Total de visualizações de página

segunda-feira, 20 de maio de 2013

The Vampire Diaries - 2x12 The Descent



É hora de nos alegrarmos, pois The Vampire Diaries retornou, e com um episódio completamente diferente do que já tínhamos visto até agora na série. Algo novo, totalmente surpreendente!
Voltamos e em grande estilo, com Damon, o vampiro mais f... de todos os tempos, em destaque. O surpreendente foi ver um episódio mais centrado e muito maduro para os padrões da série. Sério demais até para o próprio Damon. Mesmo assim, um excelente episódio. Talvez tenha faltado um pouco mais de cretinice, e de mais espaços para que eu pudesse fazer piadinhas nessa review, mas não posso reclamar de nada, senão serei um chato.
Já começamos vendo uma cena que é poesia pura: a loba acorda com a boca ensangüentada e sai juntando um braço aqui, uma perna ali, um fígado acolá e vai fazendo um montinho com partes alheias para fazer uma bela de uma fogueira. Esta cena já entrou para os anais da Televisão, e nunca mais verei uma fogueira sem esperar que um pâncreas salte dela… Logo depois aparece a polícia e a loba começa a chorar, tudo muito fake pro meu gosto, mas o suficiente pra enganar um policial da CW, que acaba virando estatística na listinha do massacre dela.
Mas não foi só isso que a loba fez nesse retorno de TVD. A moça passou o dia todo no Mystic Grills interagindo com quer  que fosse que passasse por lá. E no fim, ainda nos fez uma revelação, numa conversa com o Lobinho: os Lobisomens estão indo para a pequena cidade e uma guerra com os vampiros está prestes a começar. Quer dizer, cada vez mais me certifico de que certa é a Vambitch Kath, que tá quietinha na sua Tumba…Porque convenhamos, com Lobisomens, bruxos, Os Originais do Samba e o traidor Elijah rumando para Mystic Falls, o preço do seguro de vida na cidade deve estar subindo exponencialmente.
Mas fato é que Jules não tem lobos suficientes e pretende trazer o Lobinho Tyler pra matilha… Provavelmente ela vai conseguir, num primeiro momento, já que as mentiras que Caroline contou vão acabar afastando-os. Mas depois, é bem capaz que ele se alie aos Salvatore e Cia. Tyler parece estar mesmo apaixonado por Caroline e aquele beijo entre os dois mostrou como o casal tem química e promete vingar. Pobre coitado do Matt Perfeição, que mesmo tendo mais do que duas falas em um episódio nessa Temporada, continua jogado de lado pelo roteiro. Quem brilha mesmo agora é Caroline (MUSA), que tem lobos e vampiros rastejando aos seus pés… E eu também, sua linda!
Outra coisa boa no episódio: Stefan e Elena foram completos coadjuvantes. Tiveram uma ceninha melosa no começinho do episódio, mas depois foram jogados de lado, ajudando a destacar Damon. Claro que eles devem voltar com tudo semana que vem, principalmente depois que o mala do Stefan trouxe o outro mala do Tio John, papai de Elena… A chatice adora companhia mesmo… Só pode. Mas queridos produtores da CW, prestem atenção no titio aqui: legal o John voltar, mas tragam também Isobel, PELOAMORDEKLAUS! Tirando Damon, são as mulheres que mandam e desmandam nessa série, e com o sumiço de Vambitch, a mãe de Elena cairia bem.
E por fim não tem como fugir da coisa mais importante do episódio: a morte de Rose. Pode até ter sido a moça que se despediu da série, mas quem brilhou mesmo foi Damon. Aliás, antes de mais nada, vale destacar que essa foi possivelmente a morte mais importante de The Vampire Diaries até aqui. Todo o processo doloroso pelo qual Rose passou fez com que todos nós nos importássemos com ela, e pedíssemos para que o seu sofrimento acabasse, mesmo que não gostássemos da personagem… Para mim, que adorava ela, foi tudo pior. E claro, graças a essa morte dolorosa de Rose, pudemos ver um outro lado de Damon.
Que Damon é bom e, na verdade, se esconde em uma máscara de cinismo, todos nós já sabíamos… O que não sabíamos é a luta interna pela qual passa o vampiro. A briga entre o seu instinto de ser um vampiro, matar e ser mal, e a sua humanidade é provavelmente o elemento mais profundo que The Vampire Diaries já introduziu em seu roteiro. Damon não conseguiu descobrir ainda quem é e mesmo assim já decidiu quem quer ser aos olhos dos outros, mas suas atitudes te entregam e pouco a pouco as pessoas vão o conhecendo melhor, como é o caso de Elena, que sempre o julgou sem conhecê-lo, e viu a dor que ele sentiu pela perda de Rose.
E nessa história toda tivemos duas cenas fantásticas, onde seus intérpretes mostraram seu valor: a primeira delas é de Rose, que deu um show quando Damon a capturou naquela festinha onde a moça fez uma chacina e, já tomada pela demência, chorou e se arrependeu pelo que fez. Já a segunda, num tom dramático até pior que a de Rose, foi de Damon. A cena final do episódio. O conflito interno que ele sofria, e como ele decidiu matar aquela moça para superar o seu pesar. E como isso foi insuficiente.
Damon deu show, mostrou que é o melhor personagem da série e agora as coisas prometem. Com todos os holofotes se virando para ele, e com um Stefan perdendo destaque, é hora de mudarmos o “protagonista” da história. Não quero romance entre ele e Elena, acho que a história dos dois será melhor trabalhada se evoluírem essa amizade deles. Mas uma coisa é inegável: Damon precisa de mais episódios como esse.
E também precisamos de Vambitch e da cretinice habitual de TVD, para que eu não tenha que fazer reviews tão sérias quanto essa, afinal, essa foi a última review que me restou e quero extravasar toda minha criatividade nela… Ouviu, Titio Kev?
Review de Thiago Leal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário